NORMAS A SEREM OBSERVADAS NOS CULTOS.


Estas normas foram elaboradas pela Diretoria da Igreja Evangélica Reunidos pela Verdade (Ministério Ap. Airton Benedini), situada a Avenida Tamoio Nº 235 Bairro Mogi-Mirim II, Mogi-Mirim Estado de São Paulo, e deverão ser cumpridas em todas as igrejas filiais e por todos os obreiros cadastrados nesta Igreja.


No que diz respeito às igrejas:

  1 As Igrejas devem ser abertas pelo Obreiro que o Pastor indicar e que seja alguém responsável, a Igreja deve ser aberta sempre (30 minutos antes do culto no mínimo).


  2 A Igreja deve estar sempre limpa, arejada e organizada.

  3 O som deve ser audível o suficiente para os que estão dentro da Igreja. O som não pode ser exagerado.

Concernente à Ministração do Louvor

Os que ministram o louvor devem fazer isto com a máxima espiritualidade. Os grupos de louvor e quem ministra o louvor devem estar comportadamente vestidos, lembre-se: Somos a luz do mundo e o sal da terra.
Os componentes do grupo de louvor, logo após a ministração do louvor devem permanecer dentro da Igreja em adoração ao Senhor. Não devem ficar lá fora na calçada da Igreja, conversando, como que nada do culto fosse mais importante.
O som dos Instrumentos como das Caixas de Som devem ser moderados, respeitando o limite auditivo e o bem estar da vizinhança. Barulho demais ninguém suporta!

Para Diáconos / Diaconisas e Cooperadores

Para que membros da Igreja cheguem à condição de Cooperadores e Diáconos os mesmos deverão participar do Curso “Obreiro Aprovado” para que saibam desempenhar as suas funções e aí então serem consagrados na “Festa da Consagração” ao seu respectivo cargo que deverá assumir.

Deveres dos Cooperadores / Diáconos

  1 Apresentar-se 30 minutos antes de cada reunião, já em espírito de oração para que o culto seja uma bênção.

  2 Ficar atento ao culto e às pessoas. Nunca em rodinhas, conversando ou se distraindo, ficar sempre atento a tudo. Evitar andar nos corredores durante o culto para não tirar a atenção de quem está ouvindo a mensagem, procurando momentos estratégicos e oportunos para este fim.

  3 Antes de cada culto orar para que a reunião seja uma bênção e que aconteçam muitos prodígios e milagres.

  4 O Obreiro precisa ser amável e educado com as pessoas da Igreja, nunca agressivo ou mal educado. O Obreiro precisa falar palavras incentivadoras para que as pessoas permaneçam na Fé, na Igreja e nas Campanhas de Oração.

  5 Fazer discípulos. Todo ramo que dá fruto é limpo para que produza mais frutos ainda, o Obreiro deve convidar e incentivar os membros para evangelização para que se tornem discípulos de Jesus.

  6 O Obreiro tem que ser vigilante, discreto e moderado. Nada façais por vanglória, mas com humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.

  7 O Obreiro deve ser educado, tratando as pessoas e o Pastor com respeito.

  8 O Obreiro deve ser dizimista, ou seja, viver o que prega e pregar o que vive.

  9 O Obreiro tem que ter comunhão com Deus, viver uma vida de oração e jejum, ler e examinar a Palavra de Deus.

  10 Ser fiel a Jesus e também a Igreja Evangélica Reunidos pela Verdade e ao (Ministério Ap. Airton Benedini). Se você não for fiel a essas autoridades representativas, você jamais será fiel a Deus.

  11 Todo Obreiro deve evitar fofocas, brigas, ciúmes, porque tudo isso não provém de Deus, é obra da carne e o Obreiro que pratica isso está na carne.


  12 O Obreiro deve conduzir as pessoas, ou seja, ajudar a encontrar lugar para sentar quando a igreja estiver cheia.

  13 Observar os visitantes quando apresentados na Igreja e cumprimentá-los ao final da reunião, para que ele se sinta em família propondo ajudá-los no tocante a sua vida espiritual.

  14 O Obreiro deve orar de olhos abertos, sempre vigilantes para ver o que está acontecendo na Igreja para que nenhuma “surpresa” possa acontecer.

15 Ser vigilante quanto aos carros dos membros estacionados próximos da Igreja e objetos de valor dos membros deixados nas cadeiras para que não aconteça nenhuma “surpresa”.

16 Cuidar das crianças, não deixando correr pela igreja, mas de forma dócil e gentil pedir para os pais cuidarem delas. (Lembre-se: Os pais não gostam de ver os seus filhos sendo maltratados).

17 Os Obreiros que forem chamados para servirem neste Ministério não devem faltar as suas responsabilidades para visitar outros ministérios. “Tudo quanto fizerdes, fazei de todo coração, como para o Senhor, e não para homens”. (Colossenses. 3:23)

 

 


NORMAS QUE DEVEM SER CUMPRIDAS PELOS PASTORES DA IGREJA EVANGÉLICA REUNIDOS PELA VERDADE.


APRESENTAÇÃO PESSOAL E POSTURA DO PASTOR

1 Sempre se apresentar a Deus e à Igreja bem vestido, com vestes compostas, asseado, cabelo e barba alinhados, unhas limpas e cortadas, dentes escovados para evitar o mau hálito e de preferência com as axilas perfumadas, sapatos engraxados, e semblante alegre, em todas as reuniões.

2 Deve ser humilde, amoroso, vigilante, discreto, moderado, educado, fiel, íntegro, com caráter irrepreensível, obediente ao ministério, manso, agradável, dar bom testemunho de vida, bom pai e bom marido, conduzindo com sabedoria sua própria casa, e dedicado à causa do Senhor.

OS DEVERES DO PASTOR TITULAR A FRENTE DA IGREJA.


1 O Pastor deve chegar aos cultos 30 minutos antes do início da reunião.

2 Administrar o tempo, para que o culto inicie no horário que é determinado pelo Ministério. Se começar a Reunião fora do horário determinado, que inicie então com uma tolerância máxima de 07 (sete) minutos.

3 Acompanhar a ministração dos louvores, para constatar se o “ministro de louvor envolve a igreja preparando os membros espiritualmente” (a ministração do louvor deve ser no máximo 30 minutos).

4 As reuniões deverão ter no máximo uma duração de duas horas. Podendo excepcionalmente ultrapassar estes horários em casos especiais como: eventos, santa ceia, cultos especiais.

5 Ministrar a Palavra de Deus com unção e sabedoria, preparando a pregação antecipadamente, lembrando sempre que os membros são almas sedentas da Palavra de Deus, merecem respeito, são pessoas inteligentes que vieram em busca de um alimento consistente e não para assistir um animador circense. Não subestime o membro de sua Igreja oferecendo-lhe uma palavra sem consistência bíblica. Seja responsável. Não utilize palavras duras ou gírias e tome cuidado com as suas opiniões próprias acerca da Palavra de Deus. Na dúvida, fique quieto.

6 O Pastor não pode ausentar-se da igreja deixando-a na responsabilidade de outras pessoas para que desempenhem a função do Pastor. O trabalho que cabe ao Pastor fazê-lo é para que ele faça.

7 Orientar os obreiros para seu crescimento espiritual e ministerial.

8 É obrigatório ao Pastor e recomendável aos Obreiros que conheçam e auxiliem a área social da Igreja (Departamento Cristão Beneficente).


9 Ter relacionamento amigável com os vizinhos da igreja.

10 Durante o culto o Pastor deve:
- Orar com fé pelos membros
- Conhecer os visitantes apresentando-os a Igreja
- Convidar os membros e os visitantes para iniciarem a Campanha de Oração
- Ministrar a Palavra de Deus com “Unção”
- Fazer “apelo” para que as pessoas aceitem a Jesus Cristo como Senhor e Salvador
- Ministrar a importância de ser Ofertante e Dizimista
- Entregar os envelopes de Dízimos em todas as Reuniões
- Fazer o voto de Compromisso da Campanha
- No final do culto fazer a oração de mãos dadas
- Dar a bênção final.

11 O Pastor não tem autonomia para mudar as normas referentes ao andamento do culto, e é proibido que ele (o Pastor) faça o que bem quiser. Não será aceito pelo Ministério que estas normas sejam mudadas.

12 O Pastor tem que ser atencioso com todas as pessoas que comparece a igreja, independente do nível social ou intelectual, sem discriminar ninguém.

13 Fica estabelecido que é necessário criar os seguintes departamentos:

• Departamento Jovem • Departamento de Evangelismo
• Departamento de Intercessão e Oração • Departamento Infantil e outros

Esses departamentos criados devem ser administrados pelo Pastor, contando com a colaboração de obreiros voluntários e aptos para exercerem a função junto a cada departamento, porém assistidos pelo Pastor que deverá, quando pedido, relatar sobre o trabalho a Secretaria Geral, em atenção a Ap. Adriana Benedini.

14 É dever do Pastor, formar discípulos, prepará-los e avaliá-los antes de encaminhá-los para ocuparem algum cargo de responsabilidade no ministério da igreja.

15 Organizar/Orientar acerca dos casamentos (atrasos, decorações, etc.).


16 Nenhuma Igreja Reunidos pela Verdade ou outro espaço no templo deverá ser cedido para realização de festa de casamento, noivado, chá de bebe, etc deverá ser realizado no complexo de lazer e eventos RPV.

17 Aniversários do Pastor/Igreja ou outro evento que aconteça na Igreja, que tenha uma confraternização com bolos e refrigerantes, deverá acontecer, junto com o culto de Ação de Graças.

18 É proibido fazer da Igreja, salas de aulas de música, idiomas, (inglês, espanhol), tricô ou qualquer outra atividade cobrando mensalidade ou prestações de qualquer pessoa da Igreja.

19 É intolerável qualquer tipo de comércio dentro da Igreja.

20 É proibido colocar no mural da Igreja ou divulgar no microfone qualquer atividade comercial de membros da Igreja ou não membros sem autorização do Apóstolo.

21 Será admitido para o Batismo nas Águas, depois de adulto, o candidato que tiver completado 12 anos (11anos, 11 meses e 29 dias não é ter 12 anos), ou com qualquer idade acima desta.
22 Deverão participar da Santa Ceia do Senhor, somente os que se batizaram nas águas, independente de serem deste Ministério.

CONDUTAS QUE A IGREJA REUNIDOS PELA VERDADE NÃO APROVA NA CARREIRA MINISTERIAL DO PASTOR.

- O Pastor não deve “acampar” na casa de membros e obreiros, explorando os mesmos, almoçando e jantando em suas casas. Quando for preciso visitar, que seja em função da necessidade dos membros que por motivos de doenças ou fraqueza espiritual estejam se ausentando da Igreja. - Não é permitido qualquer tipo de arrecadação em dinheiro para compra de qualquer material ou objeto de preços elevados. Caso haja necessidade, o Ap. Airton Benedini enviará consentimento por escrito aos obreiros da mesma.
- Não é permitido que o Pastor se aposse de qualquer doação ou presente que foi dado para a Igreja. Ex.: microfones, teclados, guitarra, bateria, bebedouro, carro, terreno, geladeira, fogão, televisão, etc. Um destes itens, ou mais, ao ser ganho, passa a fazer parte do patrimônio da igreja, para uso exclusivo da mesma e não para o Pastor.
- Não é permitido abrigar pessoas sem moradia, para que durma dentro da Igreja, pois a mesma não é dormitório e sim casa de Deus. Não é permitido o Pastor receber em mãos: dinheiro, ticket´s refeição, dízimos ou ofertas, cheques, vales transportes; os mesmos devem ser depositados pelo ofertante no gasofílacio das ofertas. Nenhuma Oferta ou Santo Dízimo deverá ser entregue nas mãos do Pastor (a) ou colocado sobre o Altar da Igreja. Todas as contribuições deverão ser colocadas dentro do gasofílacio das Ofertas. Caso isso não ocorra a Diretoria do Ministério deve ser informada imediatamente.

- Não é permitido mandar obreiros e membros embora da Igreja, ou excluí-los por motivos pessoais, é necessário que a diretoria seja comunicada sobre o problema que está ocorrendo, para que se realizem reuniões a fim de esclarecer os verdadeiros e reais motivos para tal exclusão, pois não é filosofia deste ministério desligar ou afastar pessoas da Igreja, mas sim mantê-las agregadas.
- Não é permitido guardar dentro do templo: Carrinho de Pipocas, de Pastel, de Cachorro Quente, ou qualquer outro material semelhante a esses.
- É terminantemente proibido ao Pastor que está integralmente na Obra, exercer algum tipo de trabalho adicional, como vender plano de saúde, produtos de limpeza, livros, etc...
- O Pastor não pode pedir nenhum tipo de empréstimo em dinheiro/cheque para os Obreiros ou membros da Igreja e muito menos comprar no crediário em nome de Obreiros/ Membros.
- Não se deve em hipótese alguma: falar mal de outros Pastores da Igreja Evangélica Reunidos pela Verdade, muito menos humilhar os obreiros durante o Culto, ou até mesmo em Reuniões de Obreiros locais dizendo que o mesmo não tem unção, capacidade, etc. Reserve-se em conversar pessoalmente com o obreiro para corrigi-lo.
- Se o membro deseja ir para uma outra Igreja Reunidos pela Verdade, ou outra Denominação, não se deve amaldiçoá-lo, dizendo que o mesmo irá se arrepender. Conquiste-o com amor.
- Mulher de Pastor é Pastora na função ao lado de sue esposo  (a não ser que ela seja consagrada como Pastora), e não deve mandar na Igreja, principalmente no que se refere à relação pessoal entre os obreiros. O Pastor deve tomar posição de “cabeça”.
- Não é permitido: adulterar, roubar, faltar com o caráter. Caso isso ocorra, o Pastor ou Obreiro será tirado imediatamente de duas funções.
- Caso o Pastor (a), sendo casado, exercendo as suas funções, por algum motivo decida se separar da sua esposa, o mesmo será temporariamente afastado de suas funções na Igreja em que pastoreia para que o “caso” seja estudado à luz da Bíblia, sobre os motivos que levaram ao rompimento do casamento.
- Não é permitido, pastores tomarem atitudes falando em nome ou usando o nome do Ap. Airton Benedini ou Ap. Adriana C.M.Benedini.
- Não é permitido por uma questão de visão espiritual, que obreiros de outros ministérios preguem ou orem no altar das Igrejas Evangélicas Reunidos pela Verdade. Somente com prévia autorização do Presidente.
- É inadmissível que pastores tenham reuniões em dias da semana sem ninguém nas Igrejas e nada faça para reverter esta situação, é necessário que o Pastor tome providências e promova cultos especiais e evangelismo, mobilizando inclusive os obreiros no sentido de conquistarem almas para participar destes cultos. O Pastor não pode se acomodar, achar normal a sua igreja em algumas reuniões estarem vazias e se aproveitar disto para “descansar” nestes horários.
- Pastor, evangelize, trabalhe e lembre-se: você foi chamado para fazer a obra e você “ganha” para fazer a obra de Deus.

Lembre-se do que diz a Bíblia:
Quem “ganha” almas, sábio é! PV. 11:30b.

 

REGIMENTO INTERNO

Dos Membros da

 Igreja Evangélica Reunidos pela Verdade

 

Capítulo I

Dos Membros

Art. 1 º - Serão membros da Igreja Evangélica Reunidos Pela Verdade, os crentes que tiverem a convicção que Cristo morreu pôr seus pecados e que seja liberto de todos os vícios, com vida pública honesta e exemplar, tendo como regra de fé a Bíblia Sagrada e sendo batizados pôr imersão de corpo inteiro nas águas em nome do PAI, FILHO E ESPIRITO SANTO, confessando expressamente de que crê:

1º- Que crê em um só Deus, que é santo, criador de todas as coisas, soberano, eterno, subsistente em três Pessoas: Pai, Filho e o Espírito Santo. Deut. 6:4; Is. 45:22, Mat. 16:17; 28:19; João 14:16 a 17 e 26; 2ª Cor. 13:13; Ef. 4:6; 1ª Tim. 2:5;

2º-Na inspiração divina e plena da Bíblia Sagrada, bem como, na sua infabilidade e inêrrancia, como única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão. Jer. 1:12; Mat.5:18; At.28:25; 2ª-Tim. 3:14 a 17; 11 Ped. 1:21;

3º- Na concepção virginal de Jesus, como obra exclusiva do Espírito Santo de acordo com o que diz as escrituras Sagradas. Is. 7:14; Mat. 1:23; Luc. 1:34 e 35;

4º-Que o pecado degenerou o homem e, como conseqüência, destituiu-o da glória de Deus e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo o pode restaurar a Deus. Sal. 14:3; Is. 53:6; At.3:19; Rom. 3:23; 4:25; 5:1 e 12; 2ªCor. 5:21; Col. 1:21 e 22; 1ª- Tim 1:15 e 16;

5ª-Na salvação presente, imediata, completa e perfeita e na justificação do homem gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo. At.10:43; Rom. 3:24 a 26; 10:13 e 17; Ef. 2:8 e 9; Hb. 5:9; 7:25; Apoc.5:9;22:14;

6ª-No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro uma só vez em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determina o Senhor Jesus Cristo. Mat. 28:19; At.8:12; 36 a 38; Rom. 6:1 a 6; Col. 2:12;

 

7º- No Espírito Santo como a terceira pessoa da Trindade, genuíno Deus, eterno, onipotente, onipresente e onisciente. João 14; 13 a 17; 16:7 a 14; At.8:29; Rom 8:26 e 27; 1ªCor. 2:11 a 13; Ef. 4:30;

8º- No batismo com Espírito Santo, como experiência distinta do novo nascimento e na atualidade e totalidade dos dons espirituais. At.2:1 a 13; 8:14 a 24; 10:44 a 46; 11:12 a 17; 19:1 a 6; Rom. 12:6 a 8; 1ªCor. 7:7; 12:28;

9º-Na segunda vinda pré-milenar de Cristo, em duas fases distintas. A primeira, invisível ao mundo, para arrebatar sua igreja da terra, antes da grande tribulação; a segunda, visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos. João 14:3; At.1:10 e11; 1ªCor. 15:51 a 54; Fil. 3:20 e 21; 1ªTess. 4:16 e 17; Jud. 14; Apoc. 1:7; 20:4;

10º-No Juízo vindouro que condenará os infiéis, bem como, na vida eterna de gozo, de justiça e felicidade para os fiéis. Dan. 12:2;Mat. 25:31 e 32; 41 a 46; At.10; 42; 17:31; 2ªCor. 4:17; Fil. 3:20 e 21; 2ª Tim. 4:1, 7 e 8; Heb. 4:9 a 11; 2ªPed. 4:4 e 5; João3: 1 a 3; Apoc. 3:10; 20:11 a 15; 22:12.

Par. 1-Ou que sejam recebidos oriundos de outras igrejas com a mesma regra de fé, pôr carta de transferência ou pôr aclamação.

Par. 2- Os membros da igreja, contribuirão, voluntariamente para a sua Igreja, dando os seus dízimos, ofertas ou coletas para a manutenção do patrimônio, construção de seus Templos, aquisição de literaturas evangelisticas, sustento pastoral e ajuda aos mais necessitados.

Par. 3- Os membros da Igreja Evangélica Reunidos Pela Verdade, não responderão individualmente e nem subsidiariamente pelas obrigações pôr seus administradores se pôr ventura contraírem, porém respondera esta com os seus bens, pôr intermédio de sua Diretoria.

Par. 4- A referida igreja não responderá pôr obrigações contraídas pôr nenhum de seus membros, salvo se autorizado previamente e pôr escrito pela Diretoria administrativa.

Par. 5- São direitos dos membros:

A-                    Votarem e serem votados, nomeados ou credenciados;

B-                    Receberem orientação espiritual dos seus lideres;

C-                    Participarem dos cultos e atividades desenvolvidas na igreja;

D-                    Tomarem parte nas Assembléias Gerais, Ordinária e Extraordinária.

 

Par. 6- São deveres dos membros:

A-          Cumprirem os termos do Estatuto e as Decisões dos Órgãos de Administração da Igreja;

B-          Comparecerem as Assembléias Gerais, Ordinárias e Extraordinárias quando convocados;

C-          Zelarem pela Moral Cristã e pelo patrimônio Material da Igreja, cooperando voluntariamente, para o seu crescimento;

D-          Prestarem ajuda e colaboração á Igreja, espontaneamente ou quando forem chamados, sempre de forma voluntária.

E-           Prestigiarem a Igreja em todos os aspectos, bem como, divulgarem as Sagradas Escrituras, Antigo e Novo Testamento, sempre no espírito Cristão;

F-           Não pleitear em juízo ou fora dele indenizações de qualquer natureza contra a Igreja Evangélica Reunidos pela Verdade;

G-           Respeitar e honrar os administradores e líderes da Igreja, conforme 1º Tess. 5:12 e 13, 1º Tim. 5:17.

H-          Se portar com ordem e decência nos cultos, não usando trajes indecentes ou libidinosos, mas se portando como convém aos santos no Senhor. Ex: Mulheres (Roupas transparentes, saias muito curtas, vestido com muito decote, pintura excessiva, cabelos tingidos com cores não naturais, etc.) Homens (Camiseta cavada, camisa aberta, boné, shorts ou bermuda).

I-             Não é permitido aos membros da Igreja o uso de tatuagens ou pircing, e brinco aos homens, conforme diz a palavra de Deus em Levítico 19: 28.

J-             Não é permitido ao membro da igreja ficar ou namorar pessoas que não seja da mesma regra de fé, por ser julgo desigual. A igreja só aprova o namoro cristão em santidade e comunhão com o corpo de Cristo. Ficando sujeito a disciplina cabível a quem desrespeitar a regra

 

Capitulo II

Da Demissão dos Membros

Art. 2º-A igreja em caráter disciplinar poderá e deverá penalizar os membros que não estiverem em obediência à palavra de Deus e de acordo com o estatuto e regimento interno deste ministério.

Art. 3º- A penalidade seguira de prévia comunicação sendo aplicado da seguinte forma.

A-         Advertência verbal

B-          Afastamento da comunhão

C-         Exclusão

 

Art. 4º-A exclusão se dará por aqueles que se contaminarem com o pecado segundo a palavra de Deus praticando...

 

A-         Fornicação (Ex.20.14)

B-          Adultério (Ex.20.14)

C-         Homicídio (Ex.20.13; 21.18-19)

D-         Rebelião contra os administradores (1ºSm 15.23)

E-          Feitiçaria e suas ramificações (Ap.22.15; G l.5.19).

F-          Homossexualismo (Lv. 18.22; 20.13; Rm1. 26-28);

G-         Zoofilismo (Lv. 18.23-24)

H-         Prostituição (Ex.20.14)

 

Capitulo III

Do Patrimônio

 

Art.5º - A Igreja terá pôr patrimônio quaisquer bens, móveis, imóveis ou semoventes que possua ou venha possuir, os quais serão escriturados em nome da própria entidade e só poderão ser vendidos quando os mesmos não puderem mais serem aproveitados pela mesma do com o  Presidente do Ministério.

 

Art. 6º - è dever do membro da igreja cuidar e zelar pelo patrimônio da igreja, não depredando e fazendo mal uso do mesmo, mas cuidando e mantendo limpo; E sempre em boas condições de uso sempre de forma voluntária, pois é objeto santo consagrado ao Senhor Deus.

 

Art. 7º- Os músicos e cantores devem sempre manter limpos e em boa condição de uso todos os equipamentos e instrumentos usados para o Ministério de louvor a Deus.

 

Art. 8º - Por estar à igreja ainda começando a ser formada, poderá eventualmente ser acrescido a este regimento algumas clausulas e artigos que venham a ser necessários ao bom andamento da obra do Senhor e a proteção da mesma. Mas isto não ocorrerá sem antes ser votado em plenário de assembléia deste ministério.

 
Sejam Bem Vindos em nosso Site

Que Deus os Abençõe

Jesus está voltando, prepara-te para encontrar com teu Deus.

  Site Map